"(...) -Como eu gosto de você?

Eu gosto de você do jeito que você se gosta".

O Mundo no Engenho... e o ENGENHO do Mundo

sábado, 19 de março de 2011

A verdade está por dentro

 
Pelos nossos erros
Resta-nos pedir desculpas...
Ousamos cometê-los,
Porque insistimos-
Por direito -, em Existir.

Se hoje estamos aqui
Não pode ser “acaso”,
E caso descreia
Nessa teia que é a vida
Siga, só, sua saída...

...sopre, só, sua ferida:
Tão soberbo e enfermo é.
Só quem aprende, ensina,
Pois se dispõe a cada dia
A reescrever a própria fé.

http://www.google.com.br/images?hl=pt-BR&q=fotos+de+sebasti%C3%A3o+salgado&um=1&ie=UTF-8&source=univ&sa=X&ei=iVOFTYeYKcGM0QGQqNnKCA&ved=0CDAQsAQ&biw=1014&bih=544 
  Um bom remédio contra a arrogância é uma... lembrança:
http://fenixcruzengenholiterarte.blogspot.com/2010/07/acerca-do-poder.html 

http://blogflanar.blogspot.com/2011/02/poesia-endovenosa.html 

7 comentários:

Silviah Carvalho disse...

Poema forte e verdadeiro, parabéns pela postagem desse belo poema, que chega emocionar.

Felipe e Ricardo disse...

Temos um selo para você no nosso Blog, passe lá e confira! Muito sucesso!

tecas disse...

Poema belo cheio de verdades, que nos envergonha.
Bem haja por o ter postado.
As verdades por mais que magoem, devem ser divulgadas. Obriga a olharmos bem dentro de nós.
Saudações poéticas

Multiolhares disse...

Felizes dos que ainda sabem pedir desculpa e entender um pouco do seu existencialismo
bjs

Malu disse...

E pode ter certeza de que nada é por acaso...
Nem mesmo o nosso mais leve respirar.
Um poema intrigante!
Abraços

FÊNIX CRUZ disse...

Silviah: eu me emocionei com você.

Blogodinos Felipe e Ricardo: passo sábado na caverna de vocês para pegar este mimo pré-histórico!

Tecas: é verdade...
Eu já vi gente se sentindo "superior" por que sabe falar melhor(?) ou escrever muito bem(?), corrigindo regionalismos, se legando o direito de ditar o que é certo(?) ou errado (?) para outros. Aqui no Brasil temos muito disso - gente rindo da forma como fulano fala, ao invés de ouvir e refletir no que ele fala...
Se a FORMA ( a letra ) é importante, quem dirá o CONTEÙDO ( a idéia )!

Multiolhares - há alguns anos atrás vi um menino de rua batendo com os pés na porta de um carro estacionado. Achei horrível e continuei caminhando.Num único olhar ele se justificou: EU EXISTO. Incomodo? Incomodo por quê? Noutra ocasião, em frente a um shopping aqui de São Paulo, um morador de rua jogava o lixo no chão para catar restos de comida. Parei observando. Eu era professora. Então, fiquei imaginando as aulas a respeito do Meio Ambiente, onde eu dizia aos meus alunos para nunca fazerem "aquilo". Refleti muito e na outra aula lhes disse para nunca fazerem "aquilo" porque eles eram privilegiados de terem casa, comida e roupa lavada. Contei a história do morador de rua e logo eles compreenderam o impasse:
como posso dizer a um esfomeado que pega a comida do lixo para cuidar bem da SUA(?) CIDADE?

Malu - eu estava com saudades!
Gostaria apenas que as pessoas repensassem suas práticas. Creio que todos nós já nos pegamos praticando um ato absurdamente discriminatório ou preconceituoso - como aqueles em que a pessoa vai perguntar onde é a rua e a gente ( de tão saturado de ouvir as mesmas desculpas )vai logo dizendo que não tem dinheiro... todos nós erramos, porque vivemos numa sociedade envolvente assim. Precisamos é (re) aprender a ver com os olhos de dentro, porque a cegueira está se espalhando como um vírus na alma do século XXI.

Aliás, eu tenho que ler o Saramago - ensaios sobre a Cegueira, as pessoas que conheço elogiaram muito e, parece que trata desse tema.

Um grande abraço para todos.

Vanoska Buchholz da Costa disse...

OI FÊNIX,
QUERO AGRADECER A TUA VISITA AO MEU BLOG,OBRIGADA PELO COMENTÁRIO . PARABÉNS PELAS POSTAGENS, ESSE POEMA É MARAVILHOSO TOCANTE.
BEIJO
VANOSKA

Related Posts with Thumbnails

Google+ Followers

FaceMundo