"(...) -Como eu gosto de você?

Eu gosto de você do jeito que você se gosta".

O Mundo no Engenho... e o ENGENHO do Mundo

terça-feira, 29 de março de 2011

Critérios II

Uma adaptação de "CRITÉRIO" - de Luís Fernando Veríssimo  - para representação teatral em Escola Pública.


Critério

Narradora: 

( ...entra diante do cenário já montado com os demais atores ao fundo e fala com clareza para o público )

" Os náufragos de um transatlântico, dentro de um barco salva-vidas perdido em alto-mar, tinham comido as últimas bolachas e contemplavam a antropofagia como único meio a sobrevivência"

Ela se afasta do centro e observa as cenas que se seguem.)

Aluno 1  - É, mano, as mulheres devem nos servir primeiro! ( propôs um cavalheiro emergente, embalado em grifes dos pés à cabeça...)

Aluna 2 - Não! Seu monstro! (... muitos protestos femininos e tumulto no bote)

Aluno 3 - As damas? De jeito nenhum!!! ( indigna-se  o jovem, enquanto as mulheres respiram aliviadas... e completa ...) Os mais velhos devem se doar para garantir a nossa sobrevivência!

Aluna 4 - Oh! Jovem infame! Não percebe que somos difíceis de mastigar
( Pondera a senhora, depois do susto,  sem perder a pompa )

Aluno 5 - Por que não -  os jovens -, sempre tão dispostos a gestos nobres
( Protesta outro idoso, trêmulo de frio e de pavor, diante daquela conversa. Os moços se esquivam... " Não! Não, de jeito nenhum! É outra a situação, meu senhor!)

Aluno 6 - Ah, sim os jovens... todos vocês precisam dos nossos olhos e da nossa  força para avistar e mover o bote até a terra! ( Declara todo empolado um praticante de jiu jitsu, batendo no peito )

Aluna 7 - Então, os mais gordos e apetitosos!

aluna 2 - Peguem os inúteis contemplativos e líricos! (  e arranca um livro das mãos da aluna 4 )

Aluna 4 - Nem pense nisso! alguém tem que lhes contar histórias e declamar versos enquanto o salvamento não chega!


A narradora levanta meneando a cabeça com ar de reprovação :

 - Que dilema! Quem serviria de almoço? Quem serviria de jantar?  A primeira classe sempre tão preocupada! A segunda, tão ocupada... a terceira...nunca fala nada?  

E volta a posição de expectadora ).

Aluno 1 - Aí, mano, se liga! Desse palavratório quero saber... como vai ficar esse babado? Se as "damas" não podem, quem vai para o facão?

Aluno 5 - Senhores - critério! Estamos decidindo um critério para escolher quem será sacrificado pela causa da vida! Será o símbolo da nossa liberdade! Poderá ser homenageado com uma data no calendário, ser imortalizado: nomear rua,  praça, alguma escola!  Estamos indecisos!

Aluno 1 - Belê... Tá decidido. Os indecisos, mano!

( Rebuliço, protestos, revanchismos... levantou-se o ajudante de maquinista ... )

Aluno 8 - "Náufragas e náufragos - neste barco só existe uma divisão real, e é a única que conta quando a situação chega a este ponto. Não é entre velhos e jovens, gordos e magros, poetas e atletas, crentes e ateus... É entre minoria e maioria." (    E, aponta para a primeira classe, grita ) -Vamos comer a minoria!



O Natalino - o chefe de cozinha - já se sentindo indispensável é chamado pelo aluno 8  a opinar... então, aperta pernas daqui, costelas dali, enquanto se ouve Ai! Ui! Sai! )


( A narradora levanta-se surpresa e aponta alguma coisa sem conseguir falar...
 no rebuliço, o bote tomba e todos são lançados ao mar... )


Narradora vira para o público novamente e, conclui desolada:

"Bom, o fim da história? Todos foram devorados pelos tubarões que, como sabemos, não têm distinções de classe e não têm nenhum critério!"

( ao fundo, os demais se debatem e fingem fugir dos tubarões. Fecham-se as cortinas. )

Veja:

Um comentário:

tecas disse...

Uma peça teatral,com moral!
É sempre dificil conseguir chegar a um consenso, quando responde em primeiro lugar o sentido primitivo.
Felizmente, terminou bem...rs
Belíssima lição.
Parabéns.
Saudações poéticas.

Related Posts with Thumbnails

Google+ Followers

FaceMundo