"(...) -Como eu gosto de você?

Eu gosto de você do jeito que você se gosta".

O Mundo no Engenho... e o ENGENHO do Mundo

sábado, 11 de setembro de 2010

Vertigens.

Desenho / edição: "A Alma das Coisas",2010 - FC.

O que há de mim em cada Letra?
Nos rabiscos que compõem a paisagem?
O que há em mim de real?
Serei, mesmo, mera miragem?

Corpo de luz - 
Porto das sombras?
Lua Negra
A bailar sobre as ondas?

Poema dum só verso?
Dilema que imprime
Temor inconfesso?

O que há de mim na barra
Onde renasce o dia?
Nos rubros raios que se espraiam
Ao cair da noite?
O que me fere pior do que o açoite?

São as Metamorfoses do Mal...

Apagam as letras;
Diluem as tintas;
Tornam pobre toda rima.

E meus esforços para exorcizar a tristeza
Se esvaem, na certeza
Do inconstante:
Vertigem paralisante.

4 comentários:

Nádia disse...

belo trabalho de palavras

Juci Barros disse...

"Certeza do inconstante", nem todos a possuem.
Beijos.

Luis Baptista disse...

que bonito!
ler as tuas palavras ao som desta musica.

FÊNIX CRUZ disse...

Obrigada! Vocês são como um bálsamo para a minha alma...trazem esperança de termos um mundo melhor - onde as pessoas são por suas atitudes, a própria Arte.
Vocês são a Arte: eu sou apenas o espelho. Beijos!

Ah... Luis... que saudade! Espero que a Unha tenha pegado uma boa onda nessas férias! Bom retorno!

Related Posts with Thumbnails

Google+ Followers

FaceMundo