"(...) -Como eu gosto de você?

Eu gosto de você do jeito que você se gosta".

O Mundo no Engenho... e o ENGENHO do Mundo

segunda-feira, 10 de outubro de 2016

O trem

Imortal, F.C. rascunho 2016.

Eu sou por mim mesma
E somente por mim eu vou.
Esgotada pelo subemprego
Pelo submundo
Pela sobrevida que oferece mundos e fundos,
Sem fôlego para pagar a dívida
Que não é minha.
Com um pé na linha
E o outro no precipício
- Só artifícios.
E tudo a desabar:
O trem desliza no ar
Vagões daqui, vagões de lá
Dança macabra
Que nunca se acaba
Como a cal e a pá.
Há muito parei de falar
E logo, deixei de ser ouvida.
Se as palavras morrem
Com elas se vai a energia criativa...
Se não sei nomear bem o mundo
O mundo me nomeia mal.
Se da fronteira eu descuido
Não posso me sentir igual.







Um comentário:

Related Posts with Thumbnails

Google+ Followers

FaceMundo