"(...) -Como eu gosto de você?

Eu gosto de você do jeito que você se gosta".

O Mundo no Engenho... e o ENGENHO do Mundo

quarta-feira, 17 de abril de 2013

O que brilha na escuridão


Foto - edição / gimp, Fênix, 2013.
letra / FC - 2013

Aqui, onde a sua luz não me alcança
E desbotam os matizes e as lembranças,
Sigo, e não devo ser seguida.
Plano num céu de tempestades - 
De alma em alma -,
Polinizando um possível futuro:
Que seja sem mim,
Mas, de esperanças sem fim;
Que seja em seu nome,
Mesmo, que me abandone
Ou  faça calar.

As marcas que trago na pele
A febre que queima por dentro
As crenças que ainda alimento.

O que brilha na escuridão
Não são as estrelas...
São os sonhos daqueles
Que não puderam tê-las.

As marcas que trago na pele
A febre que queima por dentro
As crenças que ainda alimento...

Aqui, onde a sua luz não me alcança
Longe da sua verdade
E de suas heranças, 
Sigo, e não devo ser seguida:

O que brilha na escuridão
Não são as estrelas
São as lágrimas dos que se perderam
Sem vê-las.

Sem poder vê-las, 
Perdê-las.









 ( lindas, lindas, lindas...)

Nenhum comentário:

Related Posts with Thumbnails

Google+ Followers

FaceMundo