"(...) -Como eu gosto de você?

Eu gosto de você do jeito que você se gosta".

O Mundo no Engenho... e o ENGENHO do Mundo

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

" O conhecimento dói. E dói com mais intensidade, a medida que nos prova o tamanho de nossa impotência diante das adversidades da Vida."

Resistências II - Fênix Cruz
Lamento Blues
( letra & melodia - canto coral)
Canto Negro Canto do Blues... Todo segredo É peso da cruz... (bis) Lamento o desfecho O amor que reduz... À face de gelo Só me resta este Blues... Fênix Cruz... O Verbo
( letra & melodia )
Só Deus Para iluminar os meus caminhos Só Deus Para ter de mim compaixão... Nas ruas a cismar sempre sozinho: Só um poeta, a estrela, E pé no chão... Bandeira da minha terra Eu ergui... Porteiras quem me dera, Eu abrir... Agora, entre as serras Onde vivi, Poeira e miséria: O que vi? Faça-se a luz E a luz foi feita... Faça-se o Amor E o homem rejeita... (bis) Só Deus Para iluminar os meus caminhos, Só Deus Para ter de mim compaixão... Só Deus Para iluminar esses caminhos, Só Deus Para ter de nós compaixão... Atitudes Lua, Lua Numa manhã tão muda, Muda... Entre nuvens velozes Imagens e vozes – Bendito seja o verbo -, Verbo divino do querer Rompendo com as amarras: Com os limiares – o Ser... Lua, Lua Numa manhã tão sua... Felicidade são detalhes Que entre nuvens velozes Imagens e vozes Estão como o Sol a crescer: Partilhando o mesmo espaço, O conviver... Ser é ter a ousadia de ver! Numa manhã tão sua, Numa manhã tão muda... Muda! Bendito seja o verbo Verbo divino do querer Ver é ter a ousadia de ser... Se quer envelhecer!
( letra & melodia)
O mundo gira sem você... Mesmo que não queira crer. Deus está no céu Não desfila pela Terra - Quem se ajoelha - erra! Lá se foi o tempo da chibata... Complexo também mata: Só o amor nos faz rejuvenescer! (bis)
Resistências I É, alguns momentos são de árdua reflexão: encontros, desencontros... Mais de solidão do que de amizades. Também guardo um sonho: Nele, que o diferente não seja tratado como desigual; Que a palavra hegemonia seja banida dos dicionários; Que os valores étnicos sobressaiam aos desvaliosos racistas; Que as categorias se dissolvam em apenas: Humanidade... Que a Árvore da Vida não tombe com um sopro, Sequer arque com a tempestade! Que a palavra seja Lei que garanta a Liberdade... Não a Liberdade de morrer de frio e de fome; Não a Liberdade de não honrar um passado ou um nome; A Liberdade de sair e saber que haverá volta... Que as grades não precisarão mais estar em janelas e portas... A liberdade de chorar por ser feliz, Não por temer o amanhã. Entretanto, enquanto nos alimentarmos das desgraças - Que são só aparentemente de graça -, Tudo será sempre um sonho. Apenas, outra Utopia. Fênix

Nenhum comentário:

Related Posts with Thumbnails

Google+ Followers

FaceMundo