"(...) -Como eu gosto de você?

Eu gosto de você do jeito que você se gosta".

O Mundo no Engenho... e o ENGENHO do Mundo

terça-feira, 16 de junho de 2009

A fada negra na Buraco do Sapo...

Coleção: Rosa Negra Características: estórias (... que podem ser histórias...) infantis. Temas: auto-estima / ação/ perseverança - primeira história. Aos meus gênios da ilustração, pela inspiração: Elifas Andreatto e Ziraldo. 1 – Noite estrelada na Buraco do Sapo; 2 –Pequenina, Alina namora a imensidão... 3 –Sobre um sofá abandonado, num beco esquecido, aninha um gato vira-latas e sonha de olhos abertos com o conto à tarde lido. 4 – O livro – que belo livro! Salvo da lixeira e da reciclagem foi para a prateleira de Dona Coragem! 5 –De lá, emprestado, foi para as mãos de Alina! 6 - Agora, a menina voa pelo céu imaginando a sua fada madrinha! Seria o povo do teatro? Da dança? Da música na O.N.G.? "Quem irá me descobrir aqui?" 7– Pezinhos nus... Bracinhos gelados... AAAiiiiiiiiiiiiii... 8 – Ela só queria conhecer uma fada negra que transformasse a Buraco do Sapo! 9- E pensava suspirando vontades... 10 – “Bom, seria se a fadinha por aqui aparecesse: tornasse lama em grama e nos oferecesse rosas púrpuras e campos sempre verdes... Nos desse casas coloridas, onde pudéssemos ficar na varanda cantando cantigas, comendo frutas e doces de montão – ao invés, daquele trabalho de coleta todo o dia no lixão...” 11 –Do breu caótico dos barracos empilhados, uma luzinha estranha, aos poucos, foi surgindo... Uma silhueta muito linda o olhar da menina foi definindo... “Você me chamou” Perguntou a criatura... 12 – E era tão reluzente quanto todas estrelas que piscam lá, nas alturas! Negra! Uma bela pele negra! Como a de Alina! 13- “Você me chamou?” – insistiu a fadinha com olhos de jabuticabas e jeito de criança traquina... 14 – "Chamei!" Quase gritou a menina...“Chamei! Quero que faça como nos contos do livro do Lago, e transforme a favela do Sapo num mundo com príncipe encantado!” 15 – A fadinha revirou os olhos, torceu o nariz... Coçou a cabeça. 16 – “E por que você acha que eu tenho este poder de transformar a favela do Buraco do Sapo em um mundo encantado, com príncipe e tudo?” 17 – “Você é mágica – oras!” E colocou as mãos na cintura magrela, indignada com a falsa fadinha! 18 – “Bem mais mágica é você... Quem foi atrás de Dona Coragem? Quem sonhou com um mundo melhor? Quem procurou em si mesma a força de transformar estórias recebidas em outras, reinventadas? Quem já viu uma fada negra além de você? Eu não tenho o poder de transformar o mundo fora de você, Alina! Mas estou aqui porque sonhou e quem sonha e crê no poder mágico dos sonhos os torna realidade... A Dona Coragem sabe muito bem disso... Agora, que tem o segredo da Fada Negra, use a magia: leia para aprender a sonhar mais e fazer mais mágicas!... Pois só a mágica que vem de dentro dos humanos é que poderá transformar o mundo real – num mundo encantado e sem sapos -, como você deseja...Ah! e esqueça os principes, também - eles não são muletas...” 19 – Dito, a esperta fadinha fez um sinal de adeus e voou para junto das estrelas, para além do véu que recobre o céu... 20 – Num sobressalto, Alina acordou sobre a sua cama dura, olhou os irmãos empilhados a seu lado...E compreendeu a lição: esperar jamais! Nesse mesmo dia, quando novamente despertou, procurou Dona Coragem e foi aprender como transformar lama em gramas sempre verdes, mas, dessa vez, de verdade... Temas: solidariedade/ empatia/ perseverança/diferença X desigualdades (2)

Nenhum comentário:

Related Posts with Thumbnails

Google+ Followers

FaceMundo