"(...) -Como eu gosto de você?

Eu gosto de você do jeito que você se gosta".

O Mundo no Engenho... e o ENGENHO do Mundo

sábado, 25 de fevereiro de 2012

Interfaces...

"O futuro", desenho / edição Fênix, 2012


 Jorra o sangue da noite -
Lácteo caminho sem o véu;
As flores cortejam os montes;
As abelhas se fartam do mel.

Tudo flui, nem tudo é fluido.
A pedra provoca a onda,
A onda propaga o que digo.

O deserto não guarda a morte,
Menos é signo para o vazio;
A fenda pode ser má sorte
Ou o despertar majestoso do rio.

Tudo rui, nem tudo é ruído.
A mata responde à matança
E a ganância a despreza com o riso.

Dentro de mim habita a força que eu quiser...
As chuvas misturam-se às lágrimas;
Os ventos viram as páginas
E o futuro é um ventre de mulher.

 Jamais tantos "ais" deixaram de ser ouvidos:
Os espíritos e suas catedrais
Pela descrença estão sendo banidos.

(FC)

http://www.dicio.com.br/interface/













Em breve: " A cultura japonesa nos animes / mangás: introspecção e memória."

http://www.mixpod.com/playlist/88282516

http://www.mixpod.com/playlist/88165466

Um comentário:

vidaslife disse...

Lindo. Um poema que diz tanto, e os vídeos todos tão ricos. Parabéns querida pela postagem.
Um lindo dia para ti e beijinhos carinhosos com certeza.

Related Posts with Thumbnails

Google+ Followers

FaceMundo