"(...) -Como eu gosto de você?

Eu gosto de você do jeito que você se gosta".

O Mundo no Engenho... e o ENGENHO do Mundo

terça-feira, 12 de abril de 2011

Paradoxo

  " A flor" - Fênix, s/d.

A linguagem não revela
Subterrâneos sentidos...
Encerra o “ponto”, os discursos,
Que afirmam alguns poderes
E recontam certos vícios...

Grafias:
Formas que contêm, o incontido.
Conteúdos que atingem, o inatingível.

As palavras
Não exprimem, plenamente, NADA:
Mas, meu Deus, como fazer,
Se elas são minha última morada?

F.C.

Sonny Boy Williamson 

 





6 comentários:

Arnoldo Pimentel disse...

Muito bom e original o texto, parabéns e um lindo dia pra você, beijos.

tecas disse...

Comovente e verdadeiro poema, poeta Fenix!
« AS palavras
Não exprimem, plenamente, NADA:
Mas, meu Deus, como fazer,
Se elas são minha última morada?»
Chorei com os vídeos. A oração ajuda a aceitar o que não é compreensível.
Bem haja.
Abraço amigo

Silviah Carvalho disse...

Muito bonito e profundo o poema, versos que nos leva a refletir.Parabéns.

Sonhos De Deus disse...

Bom dia querida que lindo poema amei,uma semana iluminada pr vc um beijo enormi no teu coração ti gosto muitooo !

Julliany kotona disse...

A Amizade é a doce canção da vida,é a poesia da eternidade;
O amigo é a outra metade da gente
O lado claro e melhor,
Sempre que encontramos um amigo,
encontramos um pouco mais de nós mesmos;
O amigo revela, desvenda, conforta
É uma porta sempre aberta
em qualquer situação.
O amigo na hora certa, é o Sol ao meio dia,
estrela na escuridão;
O amigo é bússola e rota no oceano,
porto seguro da tripulação,
O amigo é o milagre do calor humano,
que Deus opera no coração.
Amizade doce canção da vida

Um grande beijo tenha um lindo fim de semana.

E.A. disse...

A palavra em nós: magia. Pois tão grande é a paixão por algo que, objectiva e friamente, parece tão pouco.

Related Posts with Thumbnails

Google+ Followers

FaceMundo