"(...) -Como eu gosto de você?

Eu gosto de você do jeito que você se gosta".

O Mundo no Engenho... e o ENGENHO do Mundo

sábado, 19 de março de 2016

Ab aeterno



Saraph / Fênix / Ab aeterno - 2016.
   ( in: Saraph )

Devo abraçar o espaço mortal
E me lançar no solo em que profano
Sem condição para o engano -
Eu, símbolo que agrega o Bem e o Mal.

Devo renascer guerreira e sem a armadura;
Ser o cálice do veneno e o da cura;
A espada que inflige a Sentença;
Ser os elos que protegem o Amor sem que pereça.

A luz caminha junto às sombras
Para toda eternidade e sempre.
A escolha é ser o oceano ou as ondas,
Isolar ou não, a terra da semente.

Sei que não sou o Cordeiro de Deus
E não vim para o abate:
Sou é o silêncio do combate,
A prece oculta que sussurra o coração ateu

E se o abismo engole a energia da Terra,
Eu, que viajei dentre tantas Eras,
Estou ciente dos Vícios e da Condenação.

Que assim seja:
Se carrego a foice como Ele almeja
É por Vontade.

O fogo que destrói promete uma nova paisagem.
Recomeço  e passagem -
De Alfa a Ômega - ab aeterno.


( O Anjo Exterminador - Saraph - parte final )























https://soundcloud.com/hadsigma/elfen-lied-lilium-music-box

Nenhum comentário:

Related Posts with Thumbnails

Google+ Followers

FaceMundo