"(...) -Como eu gosto de você?

Eu gosto de você do jeito que você se gosta".

O Mundo no Engenho... e o ENGENHO do Mundo

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Os NOSSOS bichos que andam à solta.

Algumas pessoas dizem que não entendem a cultura hindu, na qual  os animais são sagrados e andam livremente entre os homens pelas ruas das cidades. De uns tempos para cá, venho ouvindo alguns comentários que me fizeram meditar melhor a respeito desse tal estranhamento 
em relação a esse costume / crença.

Vejamos:

( Isto eu ouvi num café, da boca de gente teoricamente bem formada nas Universidades... )

" Quem não tem conta bancária não tem vida social"
 Será, então, um vegetal ?

( No metrô, após alguém ter se desequilibrado numa brecada bruta, a mulher atingida esbravejava pela plataforma... )

"Eu não desculpo nada! Quem pede desculpas é porque sabe que está errado!"
 
( A mulher recarregou o Bilhete Único e ao pegar o comprovante e segurá-lo, naquela característica ventania da Estação Conceição, o perdeu. Ela correu de volta até a atendente e...)

" você tem que me dar outro comprovante! Escreve ai com a sua letra e assina... a culpa de eu ter perdido o papel é sua, que me deu de qualquer jeito!"

( a Soberba...)

" O outro grupo tem muita inveja do meu grupo ".

( Alguém que se dizia educadora justificando a agressão física contra outrem...)

" Ele agiu por impulso: a menina é uma baranga!"


Fecha com chave de ouro: 
uma autoridade
recomendando que andemos 
com dinheiro para dar ao ladrão, 
por segurança, num assalto...


E concluí que os bichinhos que povoam as ruas tradicionais da bela Índia 
não são e não serão jamais 
tão selvagens quanto os NOSSOS. 



2 comentários:

Juci Barros disse...

Como não concordar?!

Beijos.

Luis Baptista disse...

sem duvida!
ja estive no templo dos ratos na india.
nao tenho a certeza mas a imagem parece-me de la.

Related Posts with Thumbnails

Google+ Followers

FaceMundo