"(...) -Como eu gosto de você?

Eu gosto de você do jeito que você se gosta".

O Mundo no Engenho... e o ENGENHO do Mundo

sexta-feira, 30 de abril de 2010

Por um lapso...

Desenho: Fênix, 2010 - Sem título


"É sempre bom não achar nada. 
Quem acha nunca se encontra..."


Fênix...



sábado, 24 de abril de 2010

Saraph I


"(...)Deus me deu o dom da tolerância porque sabia que eu seria intolerada: só os fortes suportam a discriminação e o preconceito, sem vislumbrar a vingança. Sei que não crê, mas tudo é troca e energia - se a gente não transforma o ambiente - o ambiente transforma a gente. E, eu pretendo VIVER, mais do que SOBREviver."

quarta-feira, 21 de abril de 2010

Distorção...

Desenho: Fênix Cruz, Comunhão, 2010.

Deus criou o homem.
O homem, tão logo, lhe deu adeus...
E falando em nome dele
Graduou a humanidade - 
Nomeou tudo à própria vontade -,
Edificou muitas cidades,
O substituiu pelos sistemas
E já intoxicado pelos lemas:
A visão obscureceu.
 
(...)


Desenho: Fênix Cruz, Distorção, 2010.

sábado, 17 de abril de 2010

(Des)Construções: o Texto e o Contexto...


O Texto: a imaginação...
 

Foto / edição: Fênix, Chão de nuvens (Cidade Ademar/SP/Capital)  / 2009.



O contexto: a realidade.



Foto / edição: Fênix; Misérias do chão (Cidade Ademar/SP/Capital)  / 2009.

A parte e o todo:  composições como arte.






Bem, agora nosso leitor compreende melhor o que foi dito no texto anterior...

quarta-feira, 14 de abril de 2010

Imagens do engenho...


Foto / edição: Fênix, Lírios / 2009.


As imagens guardam em si muitos significados. Fixam um olhar subjetivo, uma espécie de enquadramento que se dá, a partir das vivências e das crenças que temos na Vida.




Foto / edição: Fênix, Dourada / 2010.

São momentos cristalizados... poesias que comovem: alegram, encantam, surpreendem, chocam, revelam, escondem...  São composições. Resultado daquilo que queremos ter ou deixar como Memória. Lembranças boas ou más, magníficas ou vergonhosas, marcas de um lapso de tempo que flui num segundo, para nunca mais se repetir igual...



Foto / edição: Fênix, Brasil / 2009.

Múltiplos são os sentimentos que elas provocam - as mais incríveis e contrárias interpretações. Porém, como frutos da escolha de alguém, não poderiam, mesmo, ter a virtude da imparcialidade. Nenhuma ação humana tem. Se o banqueiro ouve o som da moeda tilintando no asfalto, o caiçara sabe de cor o canto de cada pássaro.

Foto / edição: Fênix, Casebre / 1996 -2009 ( máquina analógica)

Nenhuma imagem é inocente.Todas são peças para a História juntar e, revelar tendencias de épocas ou fraudes tecnológicas numa pesquisa crítica do documento, como tantas montagens que encontramos na Net, às vezes, tão perfeitas, que sem o devido conhecimento, literalmente "caímos"...


Foto / edição: Fênix, São Paulo - Centro Sé / 2010.

O fato é que uma faceta do sujeito está ali. A sua mensagem aguarda sair das entrelinhas e atingir, certeira, o receptor.


Foto / edição: Fênix, Chão de nuvens (Cidade Ademar/SP/Capital)  / 2009.

Despertar a curiosidade e a vontade de encarar o contexto - não o fragmento dele -, para compreender o todo, também está implícito, em alguns casos...
Que contexto pode ser imaginado na foto acima? Ela é um ínfimo detalhe que poderia ter sido tirado de um um Parque, do fundo de um quintal, da boca de uma grande favela... enfim, agucem a imaginação e arrisquem: como é o mundo a volta? Será que interessa ou não revelá-lo?


Foto / edição: Ingrid / Fênix, Cão fofo / sem data.

Nossa vida cotidiana está repleta de momentos que valem ser eternizados.
A beleza é tamanha que se fossemos desenhar, filmar ou fotografar tudo que de alguma forma merece nossa atenção, não sairíamos, sequer, de casa: quem olhou para as flores do quintal? Existe um quintal? Quem observou a Lua surgindo no céu? Foi possível ver ou se lembrar que existe um Céu? Quem brincou com os filhos ou com o cão de estimação no Parque? Será que existe um Parque?



Foto / edição: Fênix, abracadabra / 2008.

Se o leitor  não consegue responder a questões tão simples, será muito difícil compreender a polissemia das imagens e o espírito que contêm embutido. Serão tão somente "ilustrações". Quem não vive este real, não enxerga o plural, apenas desqualifica, pois perde a capacidade de se expressar, ler e compreender os signos e, ainda o mais importante, por meio deles, chegar aos  sujeitos que os produziram. Compartilhar e humanizar, finalmente, devolver para o mundo ao se expressar. Dialogar: seja na linguagem que for...

desenho / edição:Fênix, Saraph / 2009.



sábado, 10 de abril de 2010

Subliminares...

Desenho: Fênix Cruz / 2010 - As Fendas no tempo...
Rouba-me o tempo
Outro tempo - que não é meu.
Tempo que me é estranho
Ao ritmo que corteja a Vida,
Aquele que desumaniza
Todo o sonho - em qualquer idade -,
E condena outros valores
Aos padrões: à vulgaridade.
Na fuga dessas horas
Que tendem ser infinitas,
Rezo por ir embora:
Vertigem insana de cativa!
Śó há ilusão na liberdade...
Só, faço primaveras.
E verso no verso do Mundo
Sob os escombros de veladas guerras.
E, quais ênfases devo dar ao meu lamento,
Se milhões, em silêncio, 
Compartilham do mesmo tormento?
Embora eu saiba, insisto e pergunto:
Quantos "ismos" ainda surgirão
Prometendo-nos um futuro,
Erguendo outros tantos 
E invisíveis muros?

Ateio fogo aos Jornais.
Faço-me alheio - para não sofrer demais.
Enquanto a velocidade,
Sem freios, reorganiza os seus iguais:

O tempo que me foi roubado não retornará jamais.

Fênix...


 Fênix /2010
   
Persistências ( Fênix, 2009)


Referências( Fênix, 2010)

domingo, 4 de abril de 2010

Quando a poesia está longe do coração humano...



Hoje é domingo de Páscoa...

Não é de costume simplesmente transcrevermos notícias ou qualquer matéria que é publicada nas mídias, porém, o momento é de abrirmos uma exceção, devido a incontida indignação.

Vamos refletir acerca das mensagens que nos sugere a imprensa brasileira, inclusive, esta semana.


Porto Alegre - Rio Grande do Sul

"Do Correio do Povo

 
Um morador de rua de Porto Alegre conhecido como
Ratinho, de 35 anos, teve o corpo pichado com tinta
spray de cor prata enquanto dormia, na madrugada de
quinta para esta sexta-feira (2).

O caso aconteceu no bairro Cidade Baixa, na capital gaúcha. O rosto e o corpo todo do morador de rua
estavam cobertos de tinta, ao amanhecer.
Há suspeita de que os autores da agressão sejam os
mesmos que desembarcaram de um veículo Polo no
início da manhã desta sexta e urinaram na vítima
enquanto ela ainda dormia." (Ocorrência 2/03)



(Extraído do Portal R7 - http://noticias.r7.com/rio-e-cidades/noticias/morador-de-rua-e-pichado-com-tinta-spray-prata-em-porto-alegre-rs-20100402.html - inclusive a foto) 

São Paulo / SP

"Agencia Estado


Dois moradores de rua foram assassinados a pauladas na noite desta quinta-feira, 25, na Praça Presidente Kennedy, zona leste da capital paulista. Eles dormiam em colchões em uma área protegida por árvores, ao lado da Radial Leste, quando foram atacados."(Ocorrência 25/03)


(Extraído de Último Segundo:  http://ultimosegundo.ig.com.br/brasil/2010/03/26/moradores+de+rua+sao+assassinados+em+praca+9440149.html)
 
 Paraíba - Cabedelo.

"Paulo Cosme
 
Ainda é um mistério para a polícia o assassinato do
morador de rua  Ivonaldo Gomes da Silva, 45 anos.
Ele foi executado com três disparos de arma de fogo
no final da noite de sexta-feira (12), no município de
Cabedelo. O crime aconteceu na comunidade
conhecida por “Jardim Jericó” ou “Carandiru”.
(Ocorrência 12/03)

(Extraído de Paraíba.com.br -  http://www.paraiba.com.br/117394/policial/morador-de-rua-assassinado-a-tiros-em-cabedelo.htm)


Paraná

"Por Márcio Barros

Conhecido pelos moradores do Tatuquara pelo apelido
de “Barba”, um morador de rua aparentando ter entre
35 e 40 anos, foi morto a pedradas, na Rua Tenente
Antônio Emílio Vaz Lobo, Jardim da Ordem.
O crime aconteceu por volta de 5h, mas somente uma
hora depois, quando alguns moradores saiam para o
trabalho, é que o cadáver foi encontrado no meio da
rua. Uma moradora contou que a vítima trabalhava
puxando carrinho, catando materiais recicláveis e
frequentemente era vista na região." ( Ocorrência
30/1109)
 

(Extraído de Paraná online - http://www.parana-online.com.br/editoria/policia/news/412942/?noticia=MORADOR+DE+RUA+E+ASSASSINADO+A+PEDRADAS)

A poesia tão longe...

Agressores e / ou assassinos impunes  podem trocar ovinhos caros, bombons de marca,dizendo como quem diz "Oi" - "Feliz Páscoa". Apenas, seguem o protocolo comercial da data.
  
E sem significados essenciais no interior do mundo deles, sem substância vital, seguem com fé a propaganda do mais forte e crêem no efêmero e no superficial de suas vidas, apoiados pela impunidade.

Que significado tem a outra vida, no mundo dos homens de plástico -  ocos - que a tudo descartam, até a si mesmos? 

O ódio não é pelo OUTRO: é por si e pela solidão acompanhada que amargamente vivenciam e não aprendem a vencer. A única sensação de poder que têm e pensam em mostrar, já que no íntimo sabem o tamanho da própria mediocridade...

Que este dia nos sirva, outra vez, para refletir. Meditar a respeito dos tantos Cristos que são crucificados em nossas calçadas, todos os dias, porque são "pobres, sujos e feios" para alguém que se vê como melhor...


Que Deus abençoe a todos nós e nos proteja dos vírus da arrogância, da vaidade, do preconceito, do racismo, da intolerância e outros mais que surgirem - a medida que no mundo da Comunicação -, a comunicação fica cada vez mais escassa e a violência  nos abraça...

sábado, 3 de abril de 2010

Coisa Fina.

 Desenho: À Cora, flores...(Fênix)
Cora, Coralina!
Aviva a cor feminina
Nesses versos que ensina
A espantar a sina,
Venha nos surpreender a cada esquina!

No peito faz a faxina
De tudo que nos desatina,
Entrega as mulheres às meninas
E, as leva à explorar as minas:
Perder o medo, Coralina!
 

Fênix Cruz.

http://www.releituras.com/coracoralina_menu.asp

Related Posts with Thumbnails

Google+ Followers

FaceMundo