"(...) -Como eu gosto de você?

Eu gosto de você do jeito que você se gosta".

O Mundo no Engenho... e o ENGENHO do Mundo

sábado, 24 de setembro de 2016

Para aqueles que cuidam do corpo, da mente e do espírito.

Fudo Myo Sama /2015

 Agir sem apego aos frutos da ação é o caminho para a libertação
(Sri Krishina – Baghavad Gita*)

Por muito tempo estive afastada do Engenholiterarte e das coisas mais importantes para a minha felicidade, como da prática do Ninjutsu. E há muito escrevo acerca dessa cultura magnífica, sempre e cada vez mais surpreendente, a cultura japonesa, propondo-me a analisar aquilo que interpreto por meio dos veículos disponíveis que nos “aproximam”, a medida do possível. Neste caminho, a paixão pelo que encontrei na terra dos Kami me levou a querer vivenciar um pouco desse universo rico, transcrito nos meus primeiros contatos nas obras ficcionais dos mangás e animes, para depois mergulhar na pesquisa  detalhada, tanto dos mitos e lendas, quanto das diversas filosofias que moldam o caráter mais tradicional do povo japonês e de suas mudanças com a influência do ocidente.

A arte dos mangás/animes quando bem realizada nos anima a busca por outros horizontes: neste caminho, com a finalidade de analisá-los didaticamente, conheci a arte marcial cujo conteúdo filosófico/forma são extremamente sedutores.  Depois dela, outras artes e outras coisas igualmente sedutoras - como a espada samurai -, muito diferentes na técnica e ao mesmo tempo semelhantes na essência. São artes marciais incríveis que vêm solapando o meu modo ocidental(1) de ver o mundo, apresentando novos caminhos e desafios, já que se tornar diferente do padrão é se preparar para aceitar o exílio e o rótulo nos círculos que se dizem “normais”. Mas, pelos fundamentos apresentados no “Engenho” é perceptível que isto não me incomoda.

O que sobrou do meu ser depois de Meretriz (2) numa babel burocrática, onde a necessidade de sobrevivência me tolia com aspereza e deboche qualquer manifestação foi o silêncio. Acostumei a viver nas sombras (3). Atrofiando o cérebro, muda, segui naquele ambiente por anos (4). O Engenholiterarte nasceu da necessidade de não perder o foco nos próprios princípios. Manter a mente ativa, autônoma, descontaminada da síndrome do BBB no trabalho. E o amor pelo ninjutsu e pela espada samurai nasceu do Engenholiterarte. Aprender com quem estudou e continua divulgando com carinho e dedicação as antigas tradições era perfeito. Contudo, o problema na coluna não tardou a chegar, certamente, ocasionado pelas longas horas a frente do computador sem os devidos cuidados posturais. Com a doença vieram os contratempos no trabalho, a impossibilidade de me concentrar e escrever no “Engenho”; as dificuldades para eu me movimentar. Foi um período infinitamente solitário. Raríssimas pessoas permaneceram comigo.
Mais do que o meu corpo  a minha alma doía.
Havia um remédio contra a dor que deixava o raciocínio zero.  Parei de ler, de escrever, nem sei se vivi. Tudo desabou ao mesmo tempo. Quando  tentei voltar ao menos a fazer exercícios esse  remédio não me permitia sequer o entendimento do que o instrutor dizia, menos ainda, alguma reação. Parei de tomar a tal medicação. Era a dor ou a minha sanidade. Preferi a segunda. O outro medicamento, entretanto, foi ótimo. Com hábitos melhores, poucas horas na frente de uma tela, etc, gradativamente, estou a me recuperar da dor causada pelas lesões. Não estou curada, mas graças as habilidades e o conhecimento de um grande mestre, pude voltar a ter esperança e, logo, retornar às artes que me tornam feliz.

Às pessoas que me acolheram com tanto RESPEITO, agradeço não por obrigação, mas também por RESPEITO  e profunda admiração as suas posturas. Num Dojo aprendemos a dar valor à vida e aos nossos companheiros, compreendemos o quanto é sagrado aquele solo em que todos sorriem, se abraçam, ensinam, enfim, ajudam a levantar a alma do chão. Aquele que é exemplo atrai e imprime a sua marca no coração de cada um de nós – seja chamado de mestre ou de sensei ou de qualquer outro nome - , com ele e por ele nunca haverá humilhação e/ou discórdia. Desse modo, a ALEGRIA que é um presente divino volta a reinar e a purificar o coração, a mente e o espírito de todos.

...Nascemos ASSIM e, como era no Princípio, que seja pela Eternidade...

Mestre André – Arqueria – Pakua-Saúde (altruísmo, habilidade e conhecimento);

http://pakuasp.com/

Sensei Rogério Saporito – Kenjutsu Shinto-Ryo – Tenkyokan – Liberdade (saber, prudência e respeito);
https://www.facebook.com/TenkyokanDojo/

Sensei Jefferson Flausino – Jiriki Dojo/Escola Dharma – Liberdade (ponderação, sacrifício e dedicação)
https://pt-br.facebook.com/jirikidojo



E a todos os meus companheiros das artes marciais que frequento e as que não frequento, no Brasil e no mundo, porque esse Espírito é o berço sagrado de todas.












*Conceito e frase extraídos da obra:

MOON. Richard. Aikido – em três lições simples. Editora Pensamento/Cultrix, 2006; fls71/72; fls58 (respectivamente).

Linha dos Tempos de Chumbo

(1) - impregnado de um individualismo egocêntrico e destrutivo.
(2) – http://fenixcruzengenholiterarte.blogspot.com.br/2010/08/doutrinacao.html
(3) – http://fenixcruzengenholiterarte.blogspot.com.br/2010/07/icaro-quer-voar_26.html;
http://fenixcruzengenholiterarte.blogspot.com.br/2010/03/ressignificado.html
http://fenixcruzengenholiterarte.blogspot.com.br/2010/08/d-e-m-o-l-i-c-o-e-s.html

http://fenixcruzengenholiterarte.blogspot.com.br/2011/02/caixa-preta.html
Related Posts with Thumbnails

Google+ Followers

FaceMundo