"(...) -Como eu gosto de você?

Eu gosto de você do jeito que você se gosta".

O Mundo no Engenho... e o ENGENHO do Mundo

segunda-feira, 27 de agosto de 2012

A flor e o bambu


Gimp - edição e montagem - foto - internet / desenho -Fenix

A flor no coração do dragão
Leve e graciosa
Há de lhe fazer estender as mãos
Valer a nobreza de que goza.

Se ele brilha nos céus -
Dourado Sol que aviva -, 
Ela habita sob os véus
Da noite... que só parece passiva:

Bambu frente as tempestades,
A flor se lança ao povo 
Se desconhece Sua Majestade.

Tigre, a frágil flor renasce
E faz do inverno a sua primavera...
Impõe equilíbrio o  elemento terra.
 FIQUEM LIGADOS - O TODO NÃO É A MERA SOMA DAS PARTES...
 
http://fenixcruzengenholiterarte.blogspot.com/2012/08/o-vazio-e-o-nada.html#links

http://fenixcruzengenholiterarte.blogspot.com/2012/08/samsara.html#links

http://fenixcruzengenholiterarte.blogspot.com/2012/07/parte-ii-xintoismo-taoismo.html

http://fenixcruzengenholiterarte.blogspot.com/2012/06/cultura-japonesa-nos-animes-mangas.html

http://fenixcruzengenholiterarte.blogspot.com/2012/06/sem-titulo.html

 http://fenixcruzengenholiterarte.blogspot.com/2012/05/amores-guerreiros.html

http://fenixcruzengenholiterarte.blogspot.com/2012/05/outros-ventos.html








Beethoven - Silencio







quarta-feira, 15 de agosto de 2012

O Vazio e o Nada.

  Foto: O Vazio e o Nada - Fênix/2012 - Edição/Gimp
O que a nossa percepção não repara 
É o espaço a ser preenchido. 
Se digo que sou 
Já deixei de ser. 
Se livre estou das amarras - 
Nada tenho a dizer. 
Não sigo conceitos; 
Não aponto caminhos; 
Não invento defeitos 
Por falta de semelhanças: 
Em mim tudo cabe e Nada permanece. 
De volta ao começo, 
Assim, é que se cresce... 
Quantas sejam as partidas,
Importam a Vontade e a Saída, 
Mesmo, que para o Nada. 
O Vazio? 
Vou preenchendo pela estrada. 

Sombra e Luz - foto Fênix/2012
 


segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Samsara


Metamorfoses, 2012 - foto / edição Gimp.

Sob o entardecer vermelho
Experimento a dor daquilo que em mim se rompeu.
Numa arena de cem espelhos,
Vejo o meu único oponente: ele sou eu.

A raiz que me aniquila os passos -
Quantas vezes me protegeu?
As perguntas que hoje faço,
Não vieram das respostas que alguém me deu?

O futuro não existe sem o presente.
E eu que andei de mim tão ausente
Esqueci que o passado me esqueceu.

Quero mergulhar no vazio.
Fluir sem o peso do pecado sombrio.
Deixar o curso seguir: nada é meu.

Related Posts with Thumbnails

Google+ Followers

FaceMundo